Divã

Crônica 358 – Organizando a vida

A desorientação pessoal parece ser uma constante entre as pessoas que não conseguem harmonizar seus relacionamentos e suas finanças. O acúmulo de afetos do passado vão se tornando uma carga ativa de grande intensidade, dificultando a organização pessoal e profissional. Como resultado, verificamos um grande número de pessoas que sofrem por não conseguirem administrar suas vidas, se complicando com o controle de dinheiro: com isso, ficam com enorme dificuldade em alcançar sucesso na busca dos seus desejos.O relacionamento familiar se desestrutura. Na vida conjugal, um festival de fracassos na sexualidade, que perde a energia e assim vai ficando mais neurótica. A compulsão por compras aglomera endividamento com bancos e cartões de crédito, atingindo um volume tão grande que parece ser impossível pagar. É uma epidemia que contamina as pessoas, as quais se endividam com os amigos e nas relações de trabalho, culminando com um volume de perdas de credibilidade. Como não se organiza numa planilha o controle do que ganha, fica tudo na cabeça. O mercado bombardeia com ofertas e facilidades, as pessoas são induzidas a comprar para pagar em suaves prestações “sem juros”. Assim, podemos verificar que saber o quanto se gasta e no que se gasta passa a ser uma missão impossível.A capacidade produtiva fica seriamente comprometida, exigindo um esforço enorme para pouca realização e nada dá certo, o mundo se vira contra. A vergonha provoca sentimentos de incompetência, levando para a depressão e como fuga da confusão, que causa tremenda dor com uma força destruidora, surge o desejo de morrer para matar o sofrimento mental. Não se consegue ver nenhuma saída. Lamentações: se eu perder a pessoa que amo e as poucas coisas que tenho é preferível morrer.A angústia domina a alma que extravasa em choro e no desespero diante das perdas, o inconsciente cria mentiras para enganar o ego, resultando em trapaças na tentativa de se safar e de ter ainda algum momento de conforto e prazer a qualquer custo, mergulhando cada vez mais num abismo profundo de confusões que desnorteiam o ser humano.Para se evitar essa aventura de malogros, é preciso aprender a organizar seus pensamentos. Para tanto, é importante elaborar um planejamento, anotar em um caderno o que você deseja respondendo às perguntas: O quê?, Porquê?, Como? e Quando?.Ao definir o quê, de forma clara e específica, se deve mensurar com a pergunta porquê, para justificar se vale a pena o esforço. Se houve definição de que vale a pena, anotar um plano para responder como. E, lógico, a seguir determinar um prazo, respondendo ao quando.Aprender a controlar o dinheiro numa planilha de fluxo de caixa, dando valor a centavos gastos, resultará num conhecimento que permitirá controlar as pulsões consumistas, gerando uma enorme satisfação para o ego, que se torna vitorioso. Mesmo tendo um ganho modesto, o controle financeiro é indispensável, para saber viver de acordo com suas possibilidades.Não se isole da vida, você faz parte dela e tem a missão de melhorar e contribuir para o seu desenvolvimento. Portanto, faça das dificuldades uma oportunidade para crescer diariamente e superar as falhas cometidas, criando novos comportamentos que poderão levar ao sucesso. Não diga “eu vou tentar”, diga “eu vou fazer!” Assuma compromisso com você de forma escrita e olhe as anotações, como se um chefe estivesse lhe mandando fazer o que precisa ser feito.

Comentários