08/11/2016 às 15:22:55

Moda mais sustentável

Malha: Preocupados em produzir com mais consciência

Depois de fazer parte do frenético mundo da moda, comandado sob o pulso firme do capitalismo, o publicitário e ex-marketing da Farm, André Carvalhal, partiu para um novo caminho, em que produzir sem ter sentido não vale a pena. Ele continua trabalhando com moda, mas de uma maneira bastante diferente. Nesse novo caminho, ele criou a Malha, uma forma nova de empreendedorismo e coworking, no Rio de Janeiro. Por meio da Malha, ele conecta criadores, empreendedores, produtores, fornecedores e consumidores preocupados em produzir uma moda sustentável e colaborativa.

Durante a palestra “A Nova Era da Moda”, na última segunda-feira, durante a Conferência ONDM – O Negócio da Moda, que segue até quarta-feira, no Maria´s, em Camboriú, Carvalhal enfatizou que estamos vivendo muitas mudanças no conceito da moda que daqui algum tempo serão lembradas como uma nova Revolução Industrial. “O consumidor não quer mais comprar só por comprar. Hoje, as coisas têm que fazer sentido para ele. O consumidor quer saber a origem do produto, se foi usada mão de obra barata, pelo de animais, agrotóxicos, etc. Estamos numa era de mais consciência”, afirma.

Para Carvalhal, a moda está retomando o seu propósito original, que é o de servir a vida, aos sonhos e às necessidades das pessoas. “É uma moda que está lincada com as necessidades das pessoas, preservação do Planeta e do ser humano”, avalia.

Orientado por esse novo olhar da moda é que Carvalhal toca a Malha. De acordo com ele, não existe nenhum lugar no Brasil que funcione como na Malha. No espaço, por exemplo, há uma fábrica com todo maquinário disponível para produção. Quem quiser pode alugar o espaço para dar vida às suas criações. “Ninguém precisa ser dono sozinho de uma estrutura industrial. Isso pode ser compartilhado. Assim ajudamos o planeta”, diz.

Durante sua palestra, Carvalhal focou muito na busca por uma moda mais sustentável na qual se reciclam materiais, transformam-se roupas de brechó e calças jeans velhas são customizadas. Além disso, ele também gosta muito dessa nova onda de guarda-roupa compartilhado, em que se paga uma mensalidade e durante o mês tem direito a pegar um número x de roupas para serem usadas. Assim, ninguém mais precisa ter várias peças em casa, que usa só de vez em quando.

Além de ser um dos arautos da necessidade de mudanças na forma de fazer moda, Carvalhal também tem contribuído com a literatura sobre o assunto. Ele é autor de dois livros, sendo que o segundo será lançado essa semana. O primeiro livro “A Moda Imita a Vida”, foi um sucesso. Foi o livro de negócios de moda mais vendido do Brasil. Agora ele está lançando “Moda com Propósito”, no qual continua falando sobre empreendedorismo, mas de forma sustentável. “Falo muito sobre como vamos dar essa grande virada na forma de ver moda, na qual haja conectividade entre a marca e os desejos dos consumidores”, enfatiza.

Comentários